AMAR: como saber se você ama e é amado/a?

Essa pergunta não sai da cabeça das pessoas. Povoa a mente de dúvidas, achismos, explicações. São pensamentos que impedem a pessoa de se concentrar e ser mais produtiva, seja nos estudos ou no trabalho. E na ânsia de encontrar respostas afirmativas, se esquece de refletir na essência: o que é o amor? O que eu penso que seja amar?

Podemos encontrar no dicionário que o Amor é um sentimento afetivo por outra pessoa. Mas o que nos faz despertar tal sentimento? O que buscamos nessa pessoa na qual investimos nosso sentimento que cremos ser amor? Por que alguns matam em nome do amor? Isso é amor? Por que tantas pessoas dizem que amam a outra e depois o relacionamento não segue adiante?

São tantas perguntas e tantas respostas e justificativas, que cada uma precisa ser cuidadosamente analisada na psicoterapia! Mas uma coisa é certa, se você não se conhece, não se ama, não se valoriza e não se respeita, o relacionamento já começa errado. Geralmente você busca a sua “metade da laranja”. E isso não existe!!!

Cada ser humano nasce único e com características próprias e nasce inteiro! Não precisa buscar sua “cara metade”, pois essa metade além de não existir, nunca vai aparecer. Se alguém disser que sim, é porque uma das pessoas está projetando na outra o que quer ver e a outra também. Quando conseguirem visualizar quem realmente é o seu objeto de amor, verão as diferenças entre o ideal e o real.

Um relacionamento saudável entre duas pessoas deve ter início quando ambas se autoconhecem, são independentes emocionalmente e buscam alguém para compartilhar a sua vida. Pense nisso. E se tiver dúvidas, faça psicoterapia!

Anúncios