AMAR: como saber se você ama e é amado/a?

Essa pergunta não sai da cabeça das pessoas. Povoa a mente de dúvidas, achismos, explicações. São pensamentos que impedem a pessoa de se concentrar e ser mais produtiva, seja nos estudos ou no trabalho. E na ânsia de encontrar respostas afirmativas, se esquece de refletir na essência: o que é o amor? O que eu penso que seja amar?

Podemos encontrar no dicionário que o Amor é um sentimento afetivo por outra pessoa. Mas o que nos faz despertar tal sentimento? O que buscamos nessa pessoa na qual investimos nosso sentimento que cremos ser amor? Por que alguns matam em nome do amor? Isso é amor? Por que tantas pessoas dizem que amam a outra e depois o relacionamento não segue adiante?

São tantas perguntas e tantas respostas e justificativas, que cada uma precisa ser cuidadosamente analisada na psicoterapia! Mas uma coisa é certa, se você não se conhece, não se ama, não se valoriza e não se respeita, o relacionamento já começa errado. Geralmente você busca a sua “metade da laranja”. E isso não existe!!!

Cada ser humano nasce único e com características próprias e nasce inteiro! Não precisa buscar sua “cara metade”, pois essa metade além de não existir, nunca vai aparecer. Se alguém disser que sim, é porque uma das pessoas está projetando na outra o que quer ver e a outra também. Quando conseguirem visualizar quem realmente é o seu objeto de amor, verão as diferenças entre o ideal e o real.

Um relacionamento saudável entre duas pessoas deve ter início quando ambas se autoconhecem, são independentes emocionalmente e buscam alguém para compartilhar a sua vida. Pense nisso. E se tiver dúvidas, faça psicoterapia!

Anúncios

COMO EDUCAR SEU FILHO/A ?

Quantas dúvidas surgem na cabeça de pais e responsáveis ao educar as crianças! Muitas!!!! Mas como se constata tal afirmação?

Basta sair de casa, ir ao shopping, cinema, parque, rua, enfim, ir a qualquer lugar público e ver espetáculos de birra, manha, choro forçado, chantagens, pontapés, palavrões, ofensas sem fim dos pequenos malcriados e sem limites. Até mesmo em casa, podemos escutar os filhos de vizinhos insultando os pais, porque não receberam o que queriam, ou porque tem que ir tomar banho, fazer as tarefas ou dormir. Isso pra não falar de desligar celulares, tablet ou televisão.

E, por que isso acontece? Acontece porque a sociedade em contínua mudança, traz muitas incertezas. Os pais, ausentes por motivo de trabalho, quando chegam querem compensar a ausência com presentes. Criança não precisa de presentes. Criança precisa de amor e atenção. E engana-se quem acredita que estar 24 horas em casa é sinal de atenção e companhia. Quantos adultos estão em casa e só gritam com a criança, sem explicar, sem ensinar, sem dar carinho. Qualidade da atenção é melhor que quantidade de tempo.

Educar é transmitir valores, educar com amor e atenção, dizer NÃO para estabelecer limites e explicar o porquê do Nâo.

Mas para que a educação seja realmente efetiva, prazerosa e eficiente, os educadores, pais e responsáveis devem ter muito claro em sua mente e exemplos de vida os Valores que os norteiam. Será que cada um sabe nomear seus valores pessoais que norteiam seus seus pensamentos, sentimentos e ações?