Qualidade de Vida e Prevenção ao Suicídio.

Hoje cedo chegou ao meu conhecimento uma notícia grave. Mais uma mãe chora por não ter conseguido impedir o suicídio do seu filho.

Esse drama, que existe e aumenta cada vez mais no Brasil, toma proporções alarmantes. É um assunto que ainda é tabu, não se fala, se esconde, se oculta dentro das famílias disfuncionais.

Nossa sociedade está doente, mas se oculta atrás de selfies sorridentes, fotos de viagens, sonhos de alcançar a fama, ostentar objetos, carros, roupas, festas e ter, Ter Muito, mas que não preenche a necessidade íntima.

O vazio interior não pode ser preenchido pelo “Verbo Ter”. Mas parece que a alienação não permite ver dessa forma.

Cada vez mais as pessoas se afastam da sua essência, do SER alguém imperfeito, mas que se respeita como indivíduo e constrói o seu caminho com consciência do que realmente é importante e necessário.

Nesse cenário, a Psicologia, como ciência, e a psicóloga como pessoa que estuda e trabalha para ajudar as pessoas a encontrarem melhores caminhos e assim melhorar a sua qualidade de vida, cumprem importante papel.

É prioritário que, dentro de cada lar, se identifiquem as dificuldades e se procurem soluções para impedir que a Depressão e a Desesperança levem ao Suicídio.

Advertisements

Você não está só! Como posso te ajudar?



Desde o nascimento o ser humano está em constante desenvolvimento e adaptação. Aprender a entender o meio que o cerca, distinguir quem o cuida e alimenta, aprender a andar, falar, ler, escrever e viver em sociedade.

Nesse processo contínuo, ocorrem situações onde ele não consegue se adaptar e dominar a situação. Muitas vezes, nem entende por que determinado assunto que parecia tão fácil de resolver, se torna um problema e como pode resolvê-lo.

As dificuldades se acumulam e geram estresse e ansiedade. Outras são tão complicadas que geram traumas e medos que sufocam. Consciente e inconscientemente fazem parte da rotina de trabalho, estudo e do convívio social e familiar. Passam a ser um fardo pesado que se carrega na mochila, na cabeça, nos ombros e demais partes do corpo, dia e noite.

Então, o que até esse momento era invisível aos olhos dos outros, começa a transparecer em atitudes de mudança de comportamento, no semblante carregado e nas doenças psicossomáticas. A pessoa está doente e já não pode esconder dos demais que algo não vai bem .

A família e os amigos começam a opinar sobre o que acreditam ser a solução para os problemas, mas apesar da boa vontade, a pessoa não melhora. Isso se deve a que “as opiniões” são para minimizar os sintomas, mas não tem eficácia na solução da causa do problema.

E depois de várias tentativas frustradas, resolve buscar ajuda especializada. A psicóloga que estuda, domina as teorias, as técnicas, tem experiência em atendimento e com empatia, faz a pergunta: – Como posso te ajudar?

Sim, a pergunta tem que ser feita, pois cada ser humano é único, sua vida é única e só ele pode dizer como interpreta os fatos que acontecem. A psicóloga, com empatia, acolhimento e escuta atenta, iniciará o processo de conhecer e ajudar a pessoa no seu processo de autoconhecimento e melhora da sua autoestima. Ajuda a interpretar os fatos e a buscar novas saídas para o “labirinto emocional” onde se encontra. Não há julgamento nem tomada de decisões por parte da profissional, como alguns pretendem. A psicóloga está para ajudar no processo, respeitando a vida e as decisões de cada um.

Se você, ou alguém que conhece, se encontrar em uma situação difícil, pode me procurar. Estarei aqui, e com certeza, a primeira pergunta que farei após saber o seu nome, será: Como posso te ajudar?

Inês Hurtado de Oliveira Niero CRP 06/19.519



HIPNOSE CLÍNICA – DESMISTIFICANDO O TERMO

As pessoas têm medo do que não conhecem ou não entendem. Assim, quando comecei a utilizar a hipnose como uma ferramenta para auxiliar no tratamento dos meus pacientes, a reação principal foi de medo. Vários tipos de medo, medo de ir para algum lugar, medo de perder o controle, medo de dizer algo que não deveria, medo de fazer algo indevido, medo de não voltar a ser como era… Todos esses medos são decorrentes da falta de informação e também das crenças e histórias que ouviram dizer. 

Para desmistificar a técnica e dizer que todas as pessoas já ficam hipnotizadas normalmente, vou fazer uma pergunta: – Você já se emocionou ao ver um filme? Mesmo sabendo que é uma história, que há muita gente atrás das câmeras iluminando, escolhendo o melhor ângulo e cuidando de todos os detalhes, e mesmo assim, você já riu ou chorou? A explicação é simples: você se deixou hipnotizar! Sim, você permitiu que o sentimento, que está dentro de você, aflorasse. Se permitiu exteriorizar, viver aquela emoção. 

Assim também, no consultório, a psicóloga pergunta se quer acessar seus sentimentos e chegar a raiz do problema para entendê-lo e entender essa vivência, dando novo significado. Em caso afirmativo é a própria pessoa que se permite entrar em estado hipnótico, onde consegue acessar em sua própria memória o que está associado a aquele sentimento negativo que a incomoda.  

É um processo terapêutico ético, no qual a pessoa age de acordo com os seus princípios e crenças, o terapeuta é apenas o guia que ajuda o paciente no processo para resolver questões emocionais e comportamentais. Ao término da hipnose, a pessoa se lembra de tudo e, por isso, o tratamento é acelerado e surte efeito mais rápido.

Não deve ser confundida com a hipnose de palco que é utilizada em shows para distrair e divertir as pessoas. Mas tanto na hipnose clínica como na hipnose de palco, as pessoas não fazem o que vai contra seus princípios éticos ou contra as suas crenças, pois o subconsciente acessado durante a hipnose não permite. 

Se ainda resta alguma dúvida, pode me perguntar. Se entendeu e quiser fazer psicoterapia com hipnose, basta marcar um horário!

POR QUE O QUE ERA FÁCIL SE TORNOU DIFÍCIL?

Uma criança sorri para um simples aceno, fica feliz quando recebe um doce ou assiste um desenho.
Como era fácil ser feliz na infância!
A FELICIDADE é um sentimento natural que brota do interior da pessoa, não pode ser comprada, exigida, encomendada ou pedida.
O ser humano, durante o processo evolutivo, desaprende a ser feliz. Esquece que ela surge de dentro para fora e começa a procurá-la fora. Mistura sentimentos, compulsões, crenças; transforma, coisifica. Passa a agir como um robô de controle remoto. Coloca a felicidade como objetivo, quando na verdade é mola propulsora. É a energia positiva que move.
Quem ainda não percebeu, usa o método robô, que move o homem na busca de alcançar objetivos que, ao seu ver, ao serem conquistados trarão a tão desejada felicidade e realização. Nessa busca se depara com obstáculos que desencadeiam vários sentimentos como: ansiedade, baixa autoestima, hostilidade, agressividade, dificuldades de relacionamento. Estes sentimentos dificultam a vida e o sono fica prejudicado com pesadelos. Por fim as doenças psicossomáticas eclodem como forma de alertar a pessoa de que algo não está bem. As neuroses e a depressão vêm e se instalam, causando mais sofrimento.
Como reverter esse processo, sabendo que o ser humano é um eterno insatisfeito à procura do melhor para si próprio?
De acordo com a Pirâmide da Hierarquia de Necessidades de Abraham Maslow, o estado de desequilíbrio de alguma das necessidades é o que move o homem a buscar o que lhe falta. Esse processo é contínuo e saudável, na medida em que estimula o crescimento e amadurecimento.
A grande questão é: Como Ser Feliz.
Se a felicidade é um sentimento, devemos procurá-la dentro de nós. Reconhecê-la a cada passo que damos,a cada degrau que subimos e nas pequenas coisas que estão presentes em cada momento. Valorizar as suas conquistas, a sua família, os seus amigos, a pessoa na qual você se transformou. Sentir-se grato/a por tudo o que tem e conseguiu.
Pare, Olhe, Observe. Onde você está, o que você faz, como se veste, com quem conversa, o que come, como passa seus momentos de lazer, suas horas de descanso. Tudo é fruto das suas escolhas.
Então, se não está de acordo com alguma dessas coisas, é hora de pensar em mudar. Traçar novos objetivos e as metas para que se realizem de forma a ter mais qualidade de vida, e não só acúmulo de bens.

Inês Hurtado
CRP06/19.519

O Estresse engorda como um alimento calórico.

O Estresse engorda como um alimento calórico? Você deve estar se perguntando como isso é possível.

Um estudo desenvolvido pela Universidad Brigham Young (Estados Unidos), revelou que o estresse afeta o organismo tanto quanto uma dieta calórica.
A investigação, que foi realizada com ratos de laboratório, determinou que a flora intestinal (bactérias no intestino) de fêmeas em situações estressantes muda até ficar similar à de machos com problemas de obesidade.
Esta condição se deve a que as situações de tensão extrema fazem que o ser humano mantenha uma atitude de ansiedade extrema e estejam menos ativos fisicamente.
De acordo com a investigação, não se pode determinar quantos quilos pode aumentar uma pessoa que está submetida a situações constantes de estresse, no entanto, o efeito é similar ao que teria comer um hambúrguer com o dobro de queijo ou uma barra grande de chocolate.
O nutricionista Fernando Fernández-Aranda, do Hospital de Bellvitge em Barcelona, explicou que, lamentavelmente, os alimentos com muitas calorias são os que proporcionam maior sensação de prazer ao organismo em momentos de alta ansiedade.
“As situações de estresse que direta ou indiretamente costumam influir em nosso estado de humor, modulam a ingesta de alimentos fazendo com que comamos por excesso. Através da comida conseguimos aliviar ou evadir sensações negativas”.
Fernández-Aranda acrescentou que o estresse em si não faz com que as pessoas aumentem de peso, são as atitudes e decisões alimentares que são responsáveis por isso.
“Se gera um círculo vicioso que ativaremos em futuras situações de impacto”.
Como evitar comer quando está ansioso?
Segundo os doutores em nutrição da Universidad Autónoma de México e do Hospital Christus Muguerza, de Ciudad de México, se deve escolher alimentos ricos em magnésio quando existe ansiedade.
Estes mantém estável o ritmo cardíaco, aportam vitaminas do complexo B que participam na formação de serotonina, importante substância para o organismo.
De acordo com os especialistas, estes são os alimentos mais recomendáveis para ingerir em situações de estresse: – Frutas e vegetais – Iogurte light – Cereais – Peixe – Frutos secos – Gelatina light – Ovo

Texto traduzido de : Bío Bío Chile.

Quem controla a SUA Vida?

260124_109457815814107_1430755_n

É muito comum escutar pessoas reclamando das outras, dizendo que estão insatisfeitos com o que acontece ao seu redor. E a culpa geralmente é atribuída aos outros.
Os outros controlam a sua vida? Mas, por que?
Vivemos em sociedade e não somos autossuficientes, dependemos de inúmeros profissionais para ter os serviços necessários à nossa subsistência e conforto. Assim o lixeiro, o padeiro, o médico e tantos outros desempenham papéis importantes na nossa vida, porém não podem controlar, mas sim auxiliar.
O controle da SUA vida deve estar em suas mãos. Mas como?
Através dos seus valores que vão determinar as suas ações em cada área de atuação: familiar, profissional, intelectual, física, espiritual e financeira.
Parece fácil, mas torna-se difícil na medida que a falta de autoconhecimento leva a pessoa a delegar decisões importantes a outras pessoas.
Assim, o primeiro passo é conhecer-se bem, saber o que realmente deseja e traçar metas para alcançar. Ter oitenta por cento do controle da situação e saber prever os vinte por cento.

O ANO MUDOU, MAS… E VOCÊ?

Tanta expectativa para terminar o ano. Tanta expectativa para que este ano seja melhor!
Ok, o ano mudou, mas… e você?
Sim! Você! Afinal é você que faz as coisas acontecerem na sua vida através das suas escolhas.
O que escutou desde pequeno/a em casa, na escola, nos grupos de amigos, foi ajudando a formar a ideia que você tem a seu respeito. Se as palavras foram de incentivo, elogio e ajuda, ótimo! Assim a sua autoestima está bem e você tem mais êxito na vida. Porém, se sofreu com comentários negativos, antes ou agora, então precisará rever os seus conceitos, porque muito provavelmente, tem mais dificuldades em atingir seus objetivos.

Preste atenção nestas frases:
Não consigo lembrar nada do que aprendo.
Não entendo nada dessa disciplina.
Não consigo, é muito difícil.
Até tentei, mas desisti.
Não sou capaz, me sinto menos que os demais…
Não consigo aprender.
Nunca vou conseguir…
Não tenho tempo…

O cérebro processa essas informações e as armazena como um computador, na memória de longa duração e se transformam nas CRENÇAS LIMITADORAS. Ficam no inconsciente e influenciam as decisões.
São essas crenças que estão no pensamento e dirigem o comportamento.
. Então para que haja mudança, você precisa agir, mudar, repensar, resignificar seus próprios conceitos.
Esta não é uma tarefa fácil de executar sozinho/a, procure ajuda de uma psicóloga e faça este ano SER realmente um ano melhor.

Ser bem sucedido(a)

Há poucos dias fiz uma pergunta aos meus amigos e seguidores do face:
O que é necessário para ser bem sucedido na vida?
Dê sua opinião.

Obtive as seguintes respostas.

-Sonhar sonhos possíveis e ter motivação
-Definir seus objetivos estabelecendo datas
-Conhecer-se muito bem
-Respeitar seus valores
-Adquirir conhecimento e preparar-se para o que deseja realizar
-Ser ético(a)
-Ter resiliência, persistência, fé e dedicação
-Ser honesto consigo e com os outros
-Cuidar da saúde física, mental e espiritual.

Fiquei surpresa com o número de respostas obtidas e a frequência com que muitas se repetiam.
Mas, apesar de todos esses indicadores, algumas pessoas não se sentem vitoriosas.
Se você sente que não alcançou o sucesso, venha para psicoterapia e analisaremos juntos quais as Crenças Limitadoras que o (a) impedem de ser vitorioso(a).

DISTRAÇÃO DIGITAL – VOCÊ SOFRE COM ISSO?

Estava dirigindo na estrada e o carro à frente começou a fazer zigue-zague. Imediatamente aumentei a distância e pensei que talvez o motorista estivesse com sono, dormindo ao volante. Ou talvez, estivesse sob efeito do álcool ou drogas. Mas mudei de faixa e o ultrapassei.então, vi que ele estava distraído usando o celular.
No trabalho, um funcionário que era eficiente, agora já não atua da mesma forma,está menos focado e tem dificuldade de concentrar-se. Quando parece que vai conseguir a concentração necessária, o celular emite um som e pronto, perde o foco no trabalho. Chega a hora do almoço e os colegas saem juntos para almoçar, mas cada um usa o próprio celular para distrair-se enquanto se alimenta. Nem percebem quem está sentado ao lado.
Cada membro da família passa o dia realizando as próprias atividades e quando chegam em casa jantam assistindo a TV e olhando a correspondência, o face ou outras novidades no celular. Novamente se esquecem de dar atenção a quem está ao seu lado.
Na escola os professores travam uma batalha para tornar suas aulas mais atrativas, pois o aprender em sala-de-aula compete com a tecnologia a que os alunos têm acesso nos celulares, Ipod, tv, computador videogame. E são tecnologias que entregam tudo pronto, o aluno só precisa realizar a atividade mecânica de apertar teclas.
E se no jogo tiver que matar ou morrer? Fácil! É só reiniciar! Desaparece assim o senso de realidade – na vida real quem morre morto está e morto fica. Se matou alguém, usurpou dele o direito à vida,cometeu um crime. Isto não é correto nem aceitável. Em excesso, os jogos aumentam a destreza de apertar teclas e botões assim como aumentam a ignorância e a alienação da realidade.
Nas academias acontecem acidentes nos aparelhos, porque as pessoas se distraem usando o celular.
Vejam como o fato não é recente. Segundo uma pesquisa realizada em 2012 e publicada no UOL em 2013, vinte milhões de pessoas perderam seu meio de transporte(ônibus, trem e até avião) por estarem distraídas usando seus celulares.
Vivemos na era digital. Temos acesso à tecnologia que nos prende, fascina e vicia.
Como conviver com tantas informações instantâneas?
Como resistir a tantas mensagens, face, correios, músicas, fotos, sites?
como saber administrar tudo isso?
A resposta é complexa, porém usando o bom senso e estabelecendo prioridades, conseguiremos adequaras nossas tarefas e obrigações com os nossos momentos de curiosidade, satisfação e lazer ao usar a tecnologia.
Se não conseguir, peça ajuda!

Novela A Força do Querer – Espelho da Nossa Sociedade

Capture

Após um dia de trabalho, chega a hora de descansar, relaxar, rir, chorar, emocionar-se, vibrar, torcer, opinar…

A novela A Força do Querer espelha, como poucas, o que acontece atualmente na nossa sociedade.

Aborda temas polêmicos com muita propriedade, mostra as pessoas que entendem, acolhem, ajudam a todos que sofrem por não ser compreendidas na família e/ou na sociedade. Os que sofrem são os personagens que retratam a compulsão por jogo, diferentes orientações sexuais, traição, drogas, bulliyng, baixa autoestima… Estes personagens nos fazem refletir a respeito de cada tema.    Nos despertam a capacidade de pensar e opinar, duas atividades já quase abandonadas frente ao aparelho de TV que nos traz tudo pronto, somente para assistir.

Quando nos posicionamos e emitimos nossa opinião seja ela  a favor  ou contra, tomamos consciência que a nossa sociedade atravessa dias difícieis onde os valores são questionados e muitas vezes não são respeitados.

Mas, que direito tem alguém de não respeita o direito do outro?

 Porque no egoismo e egocentrismo de cada um não cabe o direito do outro, só o seu próprio interesse.

O ser humano evoluiu tanto no quesito tecnologia, mas continua julgando o seu semelhante pelo seu próprio modo de ver as coisas e as pessoas.

É hora de aceitar que as pessoas são diferentes e que todos merecem ser respeitadas na sua individualidade.

É hora de agir com a razão e de colocar-se no lugar do outro antes de tomar alguma atitude ou proferir um juízo de valor.

É hora de perceber que vivemos em sociedade e temos que aprender a conviver com nossa família, vizinhos, amigos, professores, chefes, pessoas de todas as idades, credo e raça.

Somente tendo consciência que apesar de sermos indivíduos diferentes, vivemos em sociedade. Temos que utilizar nossa Inteligência Emocional para tornar a nossa vida, e a vida de quem convive conosco, muito melhor.

Psicóloga Inês Hurtado

Como lidar com crianças que apresentam Mutismo Seletivo

3
O Mutismo Seletivo é um Transtorno de Ansiedade que se caracteriza pela incapacidade da criança ou adolescente de falar em determinados lugares como a escola, mas que, no entanto, fala normalmente em casa ou em outros lugares onde se sinta como em casa. Em mais de 95% dos casos, esse transtorno está associado a ansiedade social, o que explica que ele se manifeste na escola, um dos lugares que mais causa ansiedade nas crianças.
O que aumenta a ansiedade: sentir-se observada, julgada (estar certa ou errada), ser o centro das atenções.
Como a escola pode ajudar a uma criança com mutismo seletivo?

1- Fazendo com que se sinta menos ansiosa , através de atitudes como:
– atitude receptiva, acolhedora, afetuosa e com bom humor
– não pressioná-la a falar
– inspirar confiança, dizendo que não tem importância se ela não falar, porque sabem que ela o fará quando quiser, porque é inteligente e capaz.

2- Reforçar a sua confiança e autoestima:
– integrando-a nas atividades da classe, na medida do possível.
– estimular e parabenizar o seu sucesso

3- Realizar um trabalho integrado com os pais e a psicóloga.
Através da troca de informações e orientações para que se sinta amparada e estimulada no seu tempo de resposta.

A Psicologia e a Psicoterapia

Antes a Psicologia era uma ciência incompreendida e a psicoterapia era vista como um tratamento para desequilibrados mentais.
Hoje os meios de comunicação difundem amplamente essa ciência e a sua importância na vida das pessoas.

2

A psicoterapia é um recurso para chegar ao autoconhecimento e ao desenvolvimento do potencial individual. Ela é benéfica em todas as fases da vida.
Você já fez psicoterapia?

Para Pensar…

Pense, escreva, compartilhe se quiser. Sua colaboração enriquece o assunto.

Envelhecimento da População

Uma em cada nove pessoas no planeta tem 60 anos ou mais. Em 2050, pela primeira vez, haverá

mais idosos que crianças menores de 15 anos.

A população brasileira acima de 65 anos que em 2013 era de 15 milhões, deverá ser de 58 milhões

em 2060. Estima-se que a expectativa de vida dos brasileiros aumentará de 75 anos para 81 anos.

1

Como você vê os idosos. Que conceitos e preconceitos têm a respeito?

E quando você for idoso, será que pensará do mesmo modo?

QUEM É VOCÊ ?

Na música “ Noite dos Mascarados” de Chico Buarque, ele diz:

– Quem é você, diga logo que eu quero saber…

Se alguém lhe perguntar isso, o que vai dizer?Featured image

Como você  se define?

O que pensa ao seu próprio respeito?

Qual a imagem que tem de si?

Como os outros o/a definem e qual o impacto dessa opinião na sua vida?

A resposta a essas perguntas só pode ser dada se você se conhecer bem.  Para isso, o melhor modo de chegar ao Autoconhecimento é a psicoterapia.