A Internet e sua Influência na Vida Pessoal

A internet trouxe uma profunda mudança de comportamento na nossa sociedade.

Como ferramenta de trabalho, trouxe agilidade, facilidade e rapidez. Algumas pessoas não mais precisam se deslocar para trabalhar, o fazem desde seu local de residência. Seja no escritório ou em casa,  consultam sites de jornais e outros que lhes aportam informações valiosas.DSC04448

Na aprendizagem, influiu de maneira muito positiva, trazendo conhecimento  de forma prática e global. O tempo que era  usado para deslocar-se  até bibliotecas ou mesmo buscar em livros, agora é bem aproveitado obtendo maior número de informações em menor tempo. A variedade e qualidade dos textos e fotos enriquecem a pesquisa.

A internet é ótima para reencontrar a família, os amigos;  manter o contato e marcar encontros.

As relações pessoais, porém,  tornaram-se mais distantes e frias. São intermediadas à distância.  O homem torna-se mais egoísta e  individualista. Perde o contato direto e deixa de interagir de forma a compreender e respeitar as outras pessoas. Predomina a sua verdade, a sua forma de pensar e não há ninguém para contestá-la.

Muitas vezes, a pessoa só consegue se relacionar através da internet, porque tem tempo de pensar o que responder, e se a conversa não estiver interessando, pode dar uma desculpa e “sair” sem  problemas.

Outras vezes, a pessoa cria uma imagem de si e começa a acreditar que é daquele jeito. Apresenta-se daquela maneira através da internet, mas quando se encontra face a face com o outro,  a máscara cai e a relação não vai adiante.

O problema maior surge quando a pessoa se torna tão dependente da internet,  que passa a ser como um vicio da qual não tem consciência, e não consegue nem quer se libertar.

Para Griffiths (1998), qualquer comportamento que cumpra os  seis critérios a seguir, será definido  operacionalmente como “viciado” em internet:

1-      Não há para o individuo atividade mais importante que estar conectado,  e isso domina seus pensamentos, sentimentos e conduta.

2-      Modificação do humor.

3-      Tolerância: aumenta cada vez mais o tempo que fica conectado.

4-      Síndrome de abstinência: efeitos negativos quando se diminui ou interrompe o tempo que fica conectado.

5-      Conflito: a- entre o individuo e o que o rodeia; b- com outras atividades como trabalho ou estudo; c- intrapsíquico – dentro do próprio individuo.

6-      Recaída: tendência a voltar aos padrões anteriores, após algum tempo de abstinência.

Young (1996) elaborou um questionário que nos ajuda a detectar essa dependência à internet:

1-      Você fica preocupado com a internet, pensando na última conexão ou com vontade de conectar-se a cada momento?

2-      Sente necessidade de aumentar a quantidade de tempo de uso da internet para sentir-se mais satisfeito?

3-       Esforçou-se no sentido de tentar controlar, reduzir ou  parar de usar?

4-      Sentiu-se inquieto, de mau humor, deprimido ou irritado?

5-      Perdeu tempo que teria que usar para outra atividade, ficando conectado sem objetivo?

6-      Fica conectado mais tempo a cada dia?

7-      Mente para a família sobre o tempo de uso da internet?

8-      Usa a internet  para esquecer dos problemas?

Se identificou em si ou em algum membro de sua família essas características,  procure ajuda profissional.

Os problemas e inseguranças ocultos devem ser solucionados, para que as atividades na internet voltem a ser momentos de trabalho, pesquisa ou lazer.

A internet é uma ferramenta que bem utilizada traz alegria e complementa as relações pessoais.

Inês Hurtado de Oliveira Niero

CRP: 06/19.519

Advertisements